dpl6tmzok7d3e3ie7o7rz3y1dcndss

Setembro amarelo: um grito de socorro

Atualizado: Out 1


​Anualmente são registrados cerca de 12 mil suicídios no Brasil. No mundo são mais de 1 milhão: uma a cada 40 segundos. E para cada morte há mais de 40 tentativas. Cada uma dessas mortes impacta outras 6 pessoas de forma direta, entre familiares e amigos próximos cujos sentimentos são severamente abalados. Essa é uma triste realidade que registra cada vez mais casos.


Entre os jovens, as estatísticas são mais extremas: esta é frequentemente uma das maiores causas de morte entre os 19 e 25 anos anualmente. Cerca de 96,8% dos casos de suicídio estão relacionados a transtornos mentais. Primeiramente devido à depressão, seguido do transtorno bipolar e o abuso de substâncias como álcool e outras drogas.


Buscando prevenir e reduzir estes números, foi criada a campanha campanha Setembro Amarelo®. A Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e o Conselho Federal de Medicina (CFM) organizam anualmente o movimento que cresceu e hoje atua no Brasil inteiro. Para isso, o apoio das instituições relacionadas e de toda a sociedade é fundamental.


Em nossos meios de convivência, podemos estar mais alertas a alguns sintomas que podem se expressar nas pessoas à nossa volta e oferecer um ouvido amigo e o conselho de buscar ajuda profissional: comportamento depressivo, desânimo com as atividades, aquele olhar perdido, negativismo, desesperança, a montanha russa emocional: super feliz em dado momento e no fundo do poço em outro... Os sinais para quem convive são bem detectáveis, pois conhecemos nossos amigos e familiares. O importante é ouvi-los com toda a atenção; não julgar ou se colocar como o mais forte. Afinal, somos todos humanos.


O suicídio, na verdade, é um grito de socorro. Se estivermos conscientes e atentos aos nossos colegas, amigos, amores, poderemos perceber suas dores e oferecer nossa atenção. Pois quando paramos para pensar e olhar bem fundo, talvez, no final, seja isso o que todos nós queremos.


Devido à pandemia da covid-19 e os maiores riscos de suicídio por conta do isolamento social e suas consequências, a Fundação Oswaldo Cruz elaborou uma cartilha especial para informar o público geral na compreensão dessa problemática e colaborar na prevenção. Clique abaixo para conhecer mais:

Cartilha_PrevencaoSuicidioPandemia
.pdf
Download PDF • 1.30MB

Caso conheça alguém que esteja precisando de apoio, indique o telefone do Centro de Valorização da Vida (CVV): 188. Por fim, compartilho o link de uma prática de Mindfulness para ajudar a aliviar a dor emocional: http://bit.ly/laçooamarelo


E lembre-se: conversar a respeito é a melhor prevenção.


#vamosconversar


2 visualizações
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now