O que realmente você pode controlar

Atualizado: 25 de Out de 2019



É um fato: nós não podemos controlar as circunstâncias, o ambiente, os outros e suas atitudes por mais que nos esforcemos. Tentar fazer isso consciente ou inconscientemente é uma das grandes causas de frustração na vida moderna. Mas ainda assim podemos controlar coisas muito importantes. E pode ser que daqui a pouco, ao final desse artigo, você se dê conta de que algumas delas são questões bem mais profundas do que imagina.


Se você se der conta, talvez perceba que tem tudo que é basicamente necessário hoje: um lar, alimento, a saúde que te mantém com vida nesse instante, momentos com alguém que você ama. Mas há dias ou períodos na vida em que tudo parece dar errado; é como se o mundo estivesse contra nós. Nesses momentos extremos, alguns gurus dizem que é crucial deixar que emoção represada transborde... quem sabe através das lágrimas. Isso nos leva ao primeiro ponto: você pode ter controle sobre seu corpo ao mentalizar essa intenção conscientemente. Quer ver?


Experimente agora inspirar profundamente, segurar o ar contando até três em sua mente, e depois soltá-lo devagar...

Inspire profundo mais uma vez... segure o ar (1, 2, 3) e solte de-va-gar...

Inspira... segura o ar... e solta...

Se você realmente colocou sua atenção em sua respiração já vai estar em maior relaxamento agora.


Já está mais relaxad@?

Imagine como seria relaxar assim em meio a um engarrafamento. As filas de carros, a fumaça subindo do chão, as buzinas... O corpo relaxado faz com que seu estado emocional se equilibre. As perturbações do entorno ainda estarão lá, mas você está em equilíbrio, está bem.


E como seria estar nesse estado em meio a um confronto de ideias com outras pessoas? Com as emoções equilibradas, a sua mente tende a se aquietar. Assim se pode pensar de forma mais ampla... sem se fixar em seu ponto de vista, em um lado, em um partido... com um pensamento mais pleno, mais holístico.


Nada está no controle. Ao menos não no nosso. Existem forças e questões mais importantes que a nossa vontade, as nossas expectativas. Sendo assim, há duas alternativas: lutar permanentemente contra as circunstâncias ou aceitar como as coisas estão e fluir administrado a si internamente. Você continua sabendo o que quer. Só que guarda suas energias esperando o momento certo com abertura para novas oportunidades.


Uma história...

Pode ser que você lembre, agora, de eventos no passado que já te trouxeram sofrimento, angústia porque as coisas não foram como você queria. E depois de algum tempo, teve uma compreensão de que foi melhor assim. Até melhor do que você esperava.


Vou contar uma estória que tenho contado em meus atendimentos. Pode que ela não tenha acontecido nunca, mas acontece sempre e todos os dias. Um homem muito rico, ao morrer, deixou suas terras para os seus filhos. Todos eles receberam terras férteis e belas, com exceção do mais novo que ficou com um charco inútil para a agricultura. Seus amigos se entristeceram com isso lamentando tal injustiça. Mas ele lhes disse: “Se é bom ou se é mau, só o futuro dirá.”


No ano seguinte, uma seca terrível se abateu sobre o país, e as terras dos seus irmãos também foram devastadas. Mas o charco do irmão mais novo se transformou num oásis fértil e belo. Ele ficou rico e comprou um lindo cavalo branco de altíssimo valor. Seus amigos organizaram uma festa para celebrar o que tinha lhe acontecido. Mas dele lhes disse: “Se é bom ou se é mau, só o futuro dirá.” Alguns dias depois seu cavalo de raça fugiu e foi grande a tristeza. Seus amigos vieram e lamentaram o acontecido. Mas o que o homem lhes repetiu: “Se é bom ou se é mau, só o futuro dirá.”


Passados sete dias o cavalo voltou trazendo consigo dez lindos cavalos selvagens. Vieram os amigos para compartilhar a sorte dele, mas o que ouviram foram as palavras de sempre: “Se é bom ou se é mau, só o futuro dirá.” No dia seguinte o seu filho, sem juízo, montou um cavalo selvagem. O cavalo empinou e o lançou longe. O moço quebrou uma perna. Os amigos lamentaram sua desgraça. “Se é bom ou se é mau, só o futuro dirá”, o pai repetiu.


Duas semanas depois soldados vieram levar os jovens para a guerra após a convocação do rei. Todos os moços da nação tiveram de partir, menos o seu filho de perna quebrada. Os amigos se alegraram e vieram festejar. O pai viu tudo e só disse uma coisa: “Se é bom ou se é mau, só o futuro dirá…”


E essa estória pode continuar indefinidamente. Os acontecimentos vêm e vão. Os fracassos e as vitórias duram pouco. Não há nenhuma situação definitiva. As vitórias se desfazem como castelos de areia atingidos pelas ondas, e as derrotas se transformam em momentos que prenunciam um começo novo. Tudo está sempre mudando e você pode escolher estar como observador desses acontecimentos numa perspectiva maior.


O poder da escolha

Talvez algum evento em específico que te incomode e venha a sua mente agora não tenha ainda uma explicação. Mas assim como vários outros acontecimentos do passado, mais cedo ou mais tarde a explicação vem. A escolha é sua de como será essa espera. Com paciência ou com ansiedade?


Hoje você já pode perceber que a experiência de vida vem deixando sua percepção mais ampla. A cada dia, a cada nova experiência... em uma evolução contínua. E cada vez mais você vai percebendo uma verdade essencial humana; algo que nenhuma forma de restrição pode limitar: o poder de escolher. Escolher no que acreditar, de como quer estar em dado momento. Enquanto você tiver algo para fazer, alguma coisa a esperar e alguém para amar tudo estará bem. Só você pode controlar seu futuro.

0 visualização
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now